Escritórios compartilhados: a liberdade e o networking que tem atraído empreendedores brasileiros.

A boa notícia para quem deseja abrir seu negócio, no entanto tem pensado duas vezes por conta da burocracia, é que tem aumentado a oferta de escritórios compartilhados, no Brasil. Facilidades como a despreocupação com locação, mobiliário, telefone e internet, tem feito com que empreendedores escolham a flexibilidade desse segmento de coworkings.

Registrando uma alta de 48%, em 2018, com total de 1.194 escritórios espalhados pelo país, os espaços atendem, em sua maioria, profissionais liberais ou pequenas empresas com até seis funcionários – por enquanto. Como explica Fernando Aguirre, cofundador da Coworking Brasil, responsável pelo censo, “lá fora já existem companhias que deslocam setores inteiros para um espaço compartilhado, às vezes com 50 profissionais. Isso tende a começar a acontecer no Brasil”.

A tendência tem atraído por questões financeiras, mas também por dar mais liberdade e chance de networking, permitindo a interação e a troca de experiências entre as pessoas. O formato é a aposta de pequenas e médias empresas, e algumas multinacionais, por possibilitar alocações de equipes em projetos de curta duração. Com cerca de 3% do mercado global de escritórios, estima-se que possa chegar a 30% até 2030.

Fonte:
Escritórios compartilhados conquistam empreendedores no Brasil