Cresce potencial de energia eólica no Brasil

A energia eólica, que, até 2010, era encarada como uma “geração alternativa”, um experimento do setor elétrico, tem surpreendido por seu potencial para tornar-se a segunda maior fonte geradora de energia do Brasil, já a partir de 2019. Tem sido responsável por 8,5% da potência instalada em todo o território nacional, ficando atrás apenas da eletricidade gerada em turbinas elétricas, que correspondem a 64% do potencial elétrico nacional.

Com capacidade para atender a 22 milhões de residências por mês, ou cerca de 67 milhões de habitantes, a fonte de energia se destaca em sua produção nos meses de agosto e setembro, principalmente nas regiões Nordeste e Sul do país, onde se encontram 6,6 mil cataventos em 534 parques eólicos. Porém, mesmo no período seco, entre abril e novembro, especificamente em julho de 2018, foram suportados 72% da energia consumida em todo o Nordeste.

A fonte de energia gera mais de 190 mil empregos, recebendo, entre 2010 e 2017, mais de US$ 32 bilhões em investimentos. Com cerca de 2 mil MW de novos projetos eólicos contratados em leilões de energia e novos 928 projetos sendo cadastrados, com potência de 27 mil MW, o setor possui expectativa de que cerca de 1,3 mil MW sejam contratados. Além de influenciar na economia, outro grande benefício das pás eólicas foi evitar que, em apenas em 2017, 21 milhões de toneladas de CO² fossem jogados ao ar, o equivalente à emissão anual de aproximadamente 16 milhões de veículos.

Fonte:
https://www.em.com.br/app/noticia/economia/2018/08/05/internas_economia,978098/potencial-para-geracao-de-energia-eolica-no-brasil-e-crescente.shtml